Para o impreciso e certo momento

December 22, 2014

         A cidade é pequena, os caminhos são poucos - um desorganizado apinhado de ruas comunicando-se entre si num triste diálogo de casas simples e gente com pouca esperança.

         A cidade cresceu - e, mesmo lentamente, continua a crescer - ao redor da igreja: fica assim parecendo uma espécie de irradiação de divina vontade, a ramificar Seus filhos  ao alcance bendito de Sua proteção.

         Ao lado da igreja, o cemitério não traz amanhã aos mortos, mas os beneficia com a perene sombra protetora da igreja. Por isso, talvez, o suave silêncio por entre os túmulos: os anjos devem apaziguar os fantasmas daqueles que não mais aqui estão e que ali restam resignados.

         Toda a manhã, quando vou ao trabalho, e toda a tarde, quando volto para casa, passo ao lado do cemitério.  Por sobre o muro, é possível ver algumas cruzes assegurando aos céus a crença do morto. Não se veem grandes lápides ou túmulos suntuosos, a população é pobre - e as três famílias mais ricas enterram seus parentes em capelas que construíram à entrada do cemitério.

         Passo todos os dias por ali e persigno-me mesmo sem ver a igreja: ela fica de costas para o meu caminho. De uns tempos para cá, tenho também pedido pelos mortos - paz nunca deve ser demais.

         E percorrer por duas vezes ao dia a extensão desse muro frio - parece não haver sol suficiente para aquecê-lo -, tem me colocado uma ideia que, de início, relutei a aceitar, por motivos óbvios: em algum momento, vou fazer uma última jornada de ida ao trabalho ou de volta para casa, vou andar pela derradeira vez ao lado da aspereza firme que separa os vivos dos mortos.

         Briguei muito contra esse pensamento, mas não o faço mais. Aceito-o placidamente como companhia a cada vez que passo pelo cemitério.

         E, agora, ao me persignar e pedir pelos que ali estão, acrescento o meu nome, para o impreciso e certo momento em que o muro será paisagem fixa para mim, momento em que não haverá sol suficiente para me aquecer.

 

Please reload

© 2023 By Henry Cooper. Proudly created with Wix.com