Buscar
  • luishborba

A lenta fila

A fila de carros avança como se não quisesse avançar. Talvez ficarem os carros parados fosse uma opção, pois retroceder é impossível. Todos com os pisca-alerta acesos a avisarem, num adeus em sílabas luminosas, que a fila é de uma despedida.

Os outros carros, que à fila não pertencem, desviam porque neles há pressa pela chegada - e a despedida definitiva é lenta para prolongar a última partida.

Cerca de dez carros formam o comboio, corpo único a espalhar pelas ruas a voz do luto; corpo habitado pela alma do morto e que se arrasta pelo asfalto dizendo aos homens que todas as certezas da ciência não conseguem enfrentar a certeza única.

Esse corpo de vida efêmera, esse corpo nascido e criado em razão da despedida, aproveita a lentidão com que se move para dizer ainda mais. A alma do morto que o habita diz que todos os seus passos jamais dados cabem inteiros num esquife selado; fala que toda a sua religiosidade é agora um terço enrolado em seu punho imóvel.

Esse comboio moroso mostra a estagnação perene do tempo na supressão dos verões, invernos, outonos e no definhamento das primaveras nas flores que fenecem dentro do primeiro carro da fila.

E a sua voz do luto conta a derrota da esperança, lembra aos homens que as nuvens podem ter ou não pressa em cobrir o céu da vida com a tempestade do fim - mas essas nuvens têm a paciência para cobri-lo e a certeza de que choverão.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O que há são esquinas

Quando fala, a voz sai pequena como o seu corpo - os braços numa timidez de antebraços; os dedos ainda na infância e ele já velho; as pernas que não levam o tronco muito longe do chão. Tudo nele é com

Saber as horas insípidas

Todos os dias, bem cedo, a filha o coloca sentado na porta de casa. Antes de sentá-lo, ajeita a cadeira na calçada, conferindo sempre de duas a três vezes sua posição, sua firmeza. Coloca-o sentado nu

Tudo (quase) como sempre

A manhã bateu, como sempre, pancadas de débil luz na janela do quarto. Levantei-me devagar, como de costume, para não te acordar. Lembrei-me. Olhei o seu lado da cama, e o travesseiro intacto, a colch