30 Jul 2017

         Quando o marido disse “não acredito”, a mulher desviou os olhos da vitrine porque a curiosidade tem preferência na atenção.

         Fazia alguns segundos que ela esparramava indecisão diante das sandálias, polvilhando o espaço com ameaças d...

23 Jul 2017

         A pele de mais uma manhã começa a recobrir o corpo das horas, substituindo a já esgarçada pele da noite, que mais uma vez definha em estertores de madrugada.

         Pelas frestas da janela, o quarto recebe o regato de luz a iluminar timida...

23 Jul 2017

         Confinados em um engradado preso à garupa de uma moto, quatro frangos espremem penas e bicos, espalhando protestos ao longo da estrada de terra. Solavancos do caminho jogam uns contra os outros, fazendo-os se abraçarem em desacertos de asas....

2 Jul 2017

         Dentro do copo, o líquido claro e insípido balança ao ritmo da desatenção da mulher. Dá voltas sobre si mesmo, cria líquidas  elipses, hipérboles e parábolas na vertigem de moldar-se aos movimentos erráticos da mão.

         A mulher se...

2 Jul 2017

         Mais uma vez eu tenho de acudir os meus pais.

         O que se faz quando seu pai liga e diz “preciso de você”? Eu não sou capaz de dizer “tudo bem, mês que vem estou aí”. Tranquei minha casa e vim ao encontro deles o mais rapidamente que p...

Please reload

BLOG

Please reload

© 2023 By Henry Cooper. Proudly created with Wix.com